11.11.06

A Microsoft precisa de um “Papa de Código”

A Microsoft precisa retroceder e bifurcar novamente o desenvolvimento de seu OS a partir do Windows 2000 Profissional ou mesmo do Windows NT 4.0. Depois, precisa encontrar um “papa” que possa entender o código principal. Eu explico:

Primeiro, os programadores têm que supor que o Windows 2000 Profissional é a melhor versão do sistema que já existiu. Há muitos motivos para essa suposição, um dos mais importantes é que você pode fazer várias instalações sem ter que ligar para a Microsoft e explicar o motivo. Também não é a versão mais visualmente atraente do Windows e tem um certo apelo aos preguiçosos comedores de pizza que tendem a ser os fanáticos por programação. (Agora estou abaixado para evitar ser atingido por um pedaço de pizza voando)

OK, deixando a brincadeira de lado, há um fenômeno no mercado conhecido como bifurcação (forking). E não se trata apenas de pizza. Trata-se de um código que vai em duas direções diferentes, às vezes, até três. Isso parece ser bastante comum no mundo open-source, onde não há um ditador impedindo que algo vá em direções diversas.

Bifurcação para cima.
Uma bifurcação de versão geralmente acontece quando um grupo acha que outro grupo não passa de um bando de idiotas e afirma que a direção A é melhor que B. Então um grupo irá simplesmente partir para a direção A e dirá aos outros programadores que dêem o fora. Os outros programadores continuarão na direção B e podem ou não se sair melhor que os "rebeldes." Os rebeldes frequentemente se saem melhor que pior, mas nem sempre. No geral, o processo é positivo, pois cria ação e planejamento competitivo. Acho que é por isso que a programação open-source tem tanto poder no fim de seu ciclo de desenvolvimento mas quase nenhum no começo. Isso é o oposto ao que vemos com software com desenvolvimento dirigido e código fechado. E também é o motivo pelo qual a Microsoft será finalmente destruída a não ser que descubra um novo mecanismo de desenvolvimento de código fechado—um que não resulte em bagunça como o Vista.

Se a Microsoft não mudar e nos anos seguintes produzir outro fiasco como o Vista, a empresa estará acabada. Há uma oportunidade embaixo de seus narizes agora. É a opção de ter alguém que diga para a equipe para voltar no tempo e bifurcar o Windows 2000 em uma versão semelhante ao que era antes que o Win XP aparecesse. Em outras palavras, apagar tudo que entrou no Win XP.

Apagar código e retroceder é muito difícil de aceitar, mas é a única maneira. Na verdade, no momento que o Vista começou mostrar problemas, a Microsoft deveria ter parado o desenvolvimento e retrocedido, de volta para o esquema Windows 2000–XP.

A racionalidade do Papa.
É claro, nada disso é possível se o código não estiver bem documentado e você percebe que o Windows tem documentação pela metade. Há anos tenho certeza de que um dos motivos pelo qual a Microsoft não quer revelar seu código à União Européia judicialmente (ou para qualquer outra pessoa) é porque o código tem tão pouca documentação e feita de modo tão preguiçoso que estaria sujeita ao ridículo extremo. Com certeza, a documentação provavelmente é assim.

Parte do problema é o que escuto há anos. A Microsoft não mantém na equipe ninguém que entenda como o Windows funciona. Então se tornou um código-espaguete. É uma bagunça—e funciona na base da gambiarra e do milagre.

Apenas os executivos da Microsoft podem ser culpados por isso, pois eles não têm um "Papa do Windows" que se esperaria que compreendesse o Sistema Operacional completamente e pudesse passar seus segredos para um sucessor que se tornaria o próximo Papa do Windows. Em vez disso, você tem um monte de caras que querem fazer isso ou aquilo e andam pela empresa como gerentes médios ou “homens de idéias”. Com o tempo, é o que me dizem, ninguém na empresa entende a natureza geral e a estrutura do Windows em si mesma. Assim, você tem uma confusão de programadores ambiciosos que querem ser chefes.

A chave para fazer com que minha ideia funcionasse seria glorificar e pagar milhões de dólares a um Papa de Código. Ele saberia tudo sobre o Windows e teria emprego vitalício.

Pode funcionar mesmo se houver uma equipe de Papas de três ou quatro que têm a palavra final nas decisões. Esse tipo de estrutura realmente funcionaria bem em situações complexas. O Linux tem um pequeno grupo de cardeais com um papa - Linus Torvalds - então o modelo realmente funciona.

É melhor que a Microsoft faça isso logo.

Link para referência