29.7.13

Inicialização rápida do LibreOffice no Linux


Quem já usou o LibreOffice no Windows pode perceber uma diferença absurda na velocidade de inicialização em relação ao LibreOffice no Linux. Essa diferença existe porque no Windows o LibreOffice tem um carregamento prévio durante a inicialização do sistema, armazenando parte dele na memória. Com isso o carregamento é quase instantâneo.

E isso não é nenhum bicho de sete cabeças, por padrão na instalação do LibreOffice no Windows é carregado na inicialização um pequeno arquivo chamado quickstart  arquivo este também existente na instalação do LibreOffice para Linux. E então porque no Linux ele inicia muito mais lento?
Até algumas versões anteriores existia a opção de carregamento durante a inicialização (se não me engano nas versões 2.x) porem nas versões mais recentes do LibreOffice para Linux essa opção foi retirada. Então o que fazer? Vamos colocar o tal de quickstart  para carregar previamente durante a inicialização!!

No openSUSE basta basicamente invocar o comando /usr/lib/libreoffice/program/soffice.bin --quickstart porem ele executa somente em uma instância, o que não seria muito pratico invoca-lo toda vez que fosse usar o LibreOffice. A solução seria tornar esse comando ativo enquanto o sistema estiver em uso. A solução é relativamente simples, vamos criar um script com o seguinte conteúdo:

#!/bin/sh
#
# Inicialização rápida do LibreOffice
#

while :
do
/usr/lib/libreoffice/program/soffice.bin --quickstart
done


Copie e cole no editor de textos de sua preferência e salve com o nome quickstart.sh (ou baixe ele aqui). Depois dê permissão de execução (chmod +x quickstart.sh). Se seu sistema for mono-usuário salve em sua home mesmo, caso contrario salve no /opt como eu fiz.
Feito isso agora precisamos criar um atalho desse script que será carregado durante a inicialização do KDE (ou qualquer outro DE). Para tal, basta acessar o menu K / Configurações do sistema / Inicialização e desligamento / Iniciar automaticamente e depois clicar em Adicionar programa (e não em Adicionar script) e procurar o caminho do script. No caso ficará assim:




Praticamente é só isso, agora reinicie o KDE e depois verá que o LibreOffice terá uma abertura quase que instantânea. Nem sequer o splash irá aparecer.
Para quem não usa o KDE ou quer simplesmente fazer esse procedimento no modo texto, segue a dica: (console como root)

mkdir /opt/LibreOffice

wget https://dl.dropboxusercontent.com/u/15983230/quickstart.sh /opt/LibreOffice

chmod +x /opt/LibreOffice/quickstart.sh

Agora como usuário comum:

wget https://dl.dropboxusercontent.com/u/15983230/quickstart.sh.desktop ~/.config/autostart/

Reinicie seu DE e veja o resultado.

Abraços!

16.2.13

Instalando o Steam no openSUSE


Finalmente a promessa virou realidade: A Valve disponibilizou a versão estável do cliente Steam para Linux. 
Agora os usuários do pinguim poderão usufruir de alguns títulos  como os famosos World of Goo, Half-Life, Serious Sam 3, World of Goo e Team Fortress 2. Sendo que esse ultimo por enquanto permanece gratuito na nova plataforma.

Embora mesmo sendo criticado por alguns como sendo uma plataforma inviável para jogos, esse lançamento é a prova de que o Linux deixou a muito tempo essa postura de que é plataforma somente para servidores. 
Mesmo a Valve tendo demonstrado sua preferencia pelo Ubuntu, isso não impede que nós usuários do openSUSE não possamos desfrutar desse  sistema de distribuição digital de jogos.

Primeiro passo é fazer o download do instalador que, como foi feito para o Ubuntu, está no formado deb. Feito isso, vamos convertê-lo para o formato rpm através do alien com o seguinte comando (como root):

./alien.pl -r  steam_latest.deb

Ou se preferir faça o download do instalador em rpm aqui

Depois vem a instalação do pacote:

rpm -ivh steam-1.0.0.28-2.i386.rpm

Logo após a instalação será criado um atalho na área de trabalho, após clicar nele será feito um pequeno download.


Finalizando o download, aceite o contrato de instalação.


Logo em seguida virá essa tela pedindo a senha do root para instalar alguns pacotes. Ignore-a!


Próximo passo, criar uma conta.


Aceitar outro contrato...


Haja contrato!


Agora que realmente vamos iniciar a criação da conta onde devemos dar um nome para conta Steam e criar uma senha.


Agora digite um email valido e crie uma resposta secreta.


Aguarde um pouco enquanto o processo de criação da conta esta em andamento. Não demora muito e logo aparece a tela de confirmação da sua conta Steam.



O ultimo passo agora é confirmar o email para validar sua conta. Aparecerá essa mensagem  na tela inicial do Steam.



Após o recebimento do email e a sua confirmação, o seu cliente Steam estará totalmente instalado no seu openSUSE.



Divirtam-se!

12.1.13

Atualizando automaticamente o Firefox no Linux


Se tem algo que espero ansioso é pelas novas versões do Firefox. E ter que esperar pela distribuição disponibilizar o pacote atualizado, um dia sequer de espera já significa tempo demais.
E sem falar que é muito mais confortável atualizá-lo automaticamente sem ficar abrindo gerenciador de pacote, senha de root, linha de comando, e por ai vai.

OBS: Nunca esquecendo que deve-se desinstalar a versão do Firefox nativa da sua distribuição.  

Primeiro vamos fazer o download do Firefox e salvar no diretório home do usuário. Ao descompactá-lo, será gerado o diretório firefox onde estão os executáveis necessários para o funcionamento do navegador.  Basicamente é só abrir o diretório e clicar no executável firefox que seu navegador já estará funcionando, ou se quiser facilitar, crie um atalho na área de trabalho.
Essa é a dica bem simplista e útil para quem tem um sistema mono-usuário.

Agora se seu Linux tem multi-usuários ou você simplesmente quer caprichar e fazer com que pareça uma instalação nativa da distribuição, segue a dica:
Abra um console e como root (su+senha do root), mova o diretório firefox do seu diretório home para o diretório /opt. (ou qualquer outro diretório de sua preferência)

mv /home/seu_usuario/firefox /opt 

Agora vamos criar um link simbólico do executável do Firefox:

ln -s /opt/firefox/firefox /usr/bin/firefox

 Pronto, agora basta digitar "firefox" num console para invocar o Firefox, ou criar um atalho com o mesmo comando. Pra quem usa KDE, vou dar a dica de como criar entradas no menu Kickoff (menu K).

Clique com lado direito do mouse no menu K e escolha a opção Editar aplicativos e com isso abrirá o Editor de menus do KDE. Clique no meu Navegador da Web e escolha a opção Novo item e no campo Nome escreva o nome do item (ex: Navegador Web Firefox), e na opção Comando digite firefox. Agora escolha o ícone para o aplicativo que se encontra no próprio diretório do Firefox (/opt/firefox/browser/icons/mozicon128.png).





Se quiser criar entradas no painel, nos favoritos ou na área de trabalho, basta encontrar o item no meu K e clique com o lado direito do mouse sobre ele.





 Prontinho, agora é só desfrutar das atualizações em tempo real do seu Firefox. =)